Atração do Festival de Jazz Manouche de Piracicaba, Seo Manouche festeja o sucesso

Gilberto de Syllos, o Seo Manouche (Foto: Antonio Trivelin)

Por Henrique Inglez de Souza

Esperado para o dia 22 de outubro, o 4° Festival de Jazz Manouche de Piracicaba terá nomes nacionais e internacionais. Este ano, as performances ocorrerão na parte externa do Teatro do Engenho, onde também haverá food trucks. Os ingressos custam R$ 1 + um produto (1 litro de leite longa vida ou 1 kg de arroz/feijão), destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Município. As entradas podem ser adquiridas nas bilheterias do local, das 15h às 18h. 

Gilberto de Syllos é uma das atrações. O contrabaixista finaliza o segundo álbum do Seo Manouche (nome artístico que adotou para si próprio). Intitulado Cavaquinho de Itu, o material resultou da parceria com o escritor e letrista Carlos Castelo (Língua de Trapo). Será seu primeiro trabalho de canções autorais ao estilo manouche.

Seo Manouche abriu picada na vertente do gypsy jazz com linguagem de humor no Brasil. E dentro dessa receita está a música caipira – quem não se lembra da versão para o hino popular do XV de Piracicaba, Já Que Tá Que Fique, de 2015? Nós conversamos com ele, e o papo você lê a seguir.

Você já é figura carimbada e importante no festival. Aliás, foi por conta de uma de suas participações que surgiu o Seo Manouche, certo?
O Seo Manouche foi consequência de toda a minha experiência com o Hot Jazz Club e os amigos manoucheiros de São Paulo, como Bina Coquet e Daniel Grajew. Nas edições anteriores do festival, me apresentei como integrante do Hot Jazz Club e baixista acompanhante. No festival passado, o Fernando Seifarth, diretor do evento, teve a ideia de exibir em primeira mão meu clipe de Já Que Tá Que Fique. Foi quando o Seo Manouche apareceu pela primeira vez no festival. Este ano, será como artista convidado. 

Aliás, sobre o vídeo, recebemos recentemente o prêmio de melhor videoclipe e melhor fotografia do Festclip, um dos poucos festivais especializados no assunto, realizado em Santa Gertrudes (SP).

No momento, você está preparando o segundo CD do Seo Manouche. O que pode nos adiantar sobre esse trabalho, que tem como marca forte a irreverência?
Estamos finalizando o CD Cavaquinho de Itu. É uma parceria com o Carlos Castelo. Músicas inéditas, como Giselle, Django no Pandeiro e Cavaquinho de Itu, terão sua avant-première durante o Festival de Jazz Manouche de Piracicaba. Outro destaque é Esta Canção de Natal, minha primeira composição manouche, feita no dia de Natal. Com Que Roupa e Gago Apaixonado também estarão presentes, ambas do Noel Rosa, compositor cada vez mais frequente nas rodas de manouche.

Eu e o Castelo temos uma ligação muito forte com o humor e a irreverência. Nossa parceria nasceu a partir do momento em que ele ouviu Já Que Tá Que Fique. Gostou demais dessa mensagem de humor que passamos no primeiro CD, e me convidou para um almoço. Durante o nosso primeiro encontro rolou a possibilidade da parceria. Em menos de 12 horas,  já tínhamos feito nossa primeira canção, exatamente a que levará o nome do novo CD.

Quando um evento do porte do Festival de Jazz Manouche chega à sua 4ª edição, dá um sentimento de alívio, de alegria ou do quê?
Acho importante ressaltar que o Festival de Jazz Manouche existe por conta da paixão do José Fernando Seifarth. O meu sentimento é sempre de tensão por conta disso. Será fundamental para a sua continuação e sua história que a cidade abrace o evento, prestigiando os shows e tendo a alegria de ser a capital do jazz manouche. 

Foi por isso que o Seo Manouche festejou Piracicaba no videoclipe. E a cidade também será lembrada na música Django no Pandeiro, com os versos "foi em Piracicaba, que apresentaram o Django ao pandeiro, e naquela data, veio ao mundo o manouche brasileiro!"

Por que o manouche caipira tem dado certo?
Porque é "made in Piracicaba"! É que nem pamonha e caldo de cana.


(Imagem: Reprodução)

:::: O PiaparaCultural é um dos parceiros que apoiam o 4° Festival de Jazz Manouche de Piracicaba

Serviço

4° Festival de Jazz Manouche de Piracicaba
Quando: 22/10
Horário: 16h30
Local: Teatro do Engenho (parte externa)
Endereço: Av. Maurice Allain, 454 – Parque Engenho Central
Ingressos: R$ 1 + um produto (1 litro de leite longa vida ou 1 kg de arroz/feijão)
A troca por ingressos é realizada na bilheteria do local, das 15h às 18h
Informações: neste link

Assista ao clipe de Já Que Tá Que Fique, do Seo Manouche.
  

Comentários

  1. Parabéns Henrique Inglez de Souza e obrigado por mais esta oportunidade

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas